Educação - 19/03/2017 - 10:57:09

 

Mais três instituições portuguesas passam a aceitar o Enem - agora são 21

Mais três instituições portuguesas passam a aceitar o Enem - agora são 21

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

A Universidade de Coimbra já aceitava o Enem

A Universidade de Coimbra já aceitava o Enem


Três instituições de ensino superior de Portugal vão passar usar as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para a seleção e admissão de alunos brasileiros: o Instituto Universitário de Ciências da Saúde, a Escola Superior de Saúde do Vale do Ave e a Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa. Com isso, a lista de instituições portuguesas que aceitam o exame sobe para 21.

Os acordos para uso do Enem vêm sendo firmados com instituições portuguesas de ensino superior desde 2014. O último acordo de cooperação foi assinado na quinta-feira (16) pela presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini e pela Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (Cespu), mantenedora das três instituições acima, localizadas na região da cidade do Porto.

O diretor da Cespu, Luis Manuel Duarte Martins da Silva, disse que atualmente, 20% das vagas nas instituições são direcionadas a estudantes estrangeiros, informou o Inep.  Para selecionar brasileiros para seus cursos de graduação, a Cespu vai usar a nota da prova de Ciências da Natureza e Suas Tecnologias. A nota do Enem será somada com a média das notas do ensino médio do candidato.

Veja a lista das instituições portuguesas que utilizam os resultados do Enem no processo seletivo (visite os sites das universidades)

 



;

Links
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias




Prefeitura de São Bernardo oferece água potável para população no Parque Estoril


JBS paralisa por três dias produção de carne bovina no Brasil


Câmara dos EUA adia votação sobre Obamacare


Servidores municipais de Santos rejeitam proposta e mantêm greve


Entenda o projeto de lei da terceirização aprovado pela Câmara


Ministro Barroso, do STF, defende voto em lista fechada de candidatos